Profundidade dos sulcos do pneu: entenda por que cada milímetro conta

Saiba como medir a profundidade dos sulcos utilizando uma moeda de R$ 1,00
A profundidade dos sulcos é fator determinante de segurança na utilização dos pneus
Transitar com pneu careca pode resultar em multa e em cinco pontos na carteira de motorista

Você está acostumado a pegar estrada sempre? Então responda rápido: quando foi a última vez que você prestou atenção na profundidade dos sulcos dos seus pneus?


Rafael Astolfi, gerente de Assistência Técnica da Continental Pneus, lembra que realizar periodicamente a mensuração dos sulcos para verificar se eles já atingiram 1,6 mm ou menos, momento em que devem ser substituídos, é fundamental para garantir uma direção segura.


Essa informação pode ser facilmente obtida verificando os indicadores de desgaste (TWI) incorporados aos sulcos circunferenciais dos pneus. Quando o desgaste da banda de rodagem coincidir com essas marcações, ele deve ser substituído. Vale lembrar que transitar com pneu careca pode resultar em multa e adição de cinco pontos no prontuário do motorista.


É possível também medir a profundidade dos sulcos utilizando uma moeda de R$ 1,00.

Se o anel dourado desaparecer ao ser inserido no sulco você pode rodar com seu carro sem problemas. Caso o contrário, os pneus de seu veículo devem ser trocados imediatamente.


“Recomendamos uma profundidade mínima de 3 mm para que o pneu possa ser utilizado com segurança e, em caso de pista molhada, tenha a capacidade de drenar a água adequadamente. Os sulcos são essenciais para esse processo. Abaixo dessa medida, os pneus vão perdendo rapidamente a sua eficiência e a aderência, o que aumenta exponencialmente o risco de perda de contato com o solo, especialmente sob condições meteorológicas adversas”, destaca Rafael Astolfi.


Um exemplo prático: um carro rodando em uma pista molhada a uma velocidade de 80 km/h calçando pneus com 3 mm de profundidade de sulco levará uma distância de até dois veículos para parar totalmente. Com sulcos de 1,6 mm essa distância dobra, ou seja, pode chegar a até quatro veículos. Em terreno seco a distância de frenagem também é maior.


“Os pneus são o único ponto de contato entre o carro e o asfalto. Todas as forças transmitidas para a via são feitas através de uma área equivalente à de um cartão postal. Em uma situação crítica, é o pneu que determina se o carro pode parar em tempo ou se ele permanece seguro ao fazer uma curva. Quando a sua segurança e a de sua família pode ser colocada em risco, cada milímetro do sulco conta”, conclui o especialista da Continental Pneus.

A Continental desenvolve tecnologias pioneiras e serviços para mobilidade sustentável e conectada de pessoas e seus bens. Fundada em 1871, a empresa de tecnologia oferece soluções seguras, eficientes, inteligentes e acessíveis para veículos, máquinas, tráfego e transporte. Em 2017, a Continental registrou vendas preliminares de cerca de € 44 bilhões e atualmente emprega mais de 233.000 pessoas em 56 países.


A Divisão de Pneus tem atualmente mais de 24 locais de produção e desenvolvimento em todo o mundo. A vasta gama de produtos e os investimentos contínuos em P&D contribuem de forma significativa para uma mobilidade rentável e ecologicamente eficiente. Como um dos principais fabricantes de pneus do mundo, com cerca de 52.000 funcionários, a Divisão de Pneus registrou vendas de € 10,7 bilhões em 2016.


A divisão de Pneus para Veículos Comerciais da Continental é uma das maiores fabricantes de pneus para caminhões, ônibus e pneus comerciais em todo o mundo. Essa unidade de negócios está continuamente se desenvolvendo de um simples fabricante de pneus para um provedor de soluções, oferecendo uma ampla gama de produtos, serviços e soluções relacionadas aos pneus.


204 visualizações

Posts recentes

Ver tudo